Momento Espírita
Curitiba, 21 de Outubro de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Recurso inigualável

A prece é um matrimônio de amor.

A alma fala ao Criador, cantando sua alegria, chorando a sua dor ou, simplesmente desejando sintonizar com a linfa cristalina das energias superiores.

Ainda nos servimos muito pouco dela, por não termos consciência do quanto é poderosa.

Ao orarmos, movimentamos energias que nos envolvem, e a todos os que nos estão próximos.

Quando cultivamos o hábito da oração, criamos uma aura ao nosso redor, e a emitimos, de forma que beneficiamos a quem nos esteja próximo.

Nossa simples presença, em algum local, tem o condão de impregná-lo dessas benesses, graças a esse halo que criamos, com a oração constante.

A oração harmoniza o ambiente onde se manifesta e é exercida, criando uma psicosfera balsâmica, agradável, calmante.

Costumamos acionar os canais da prece quando a dor nos chega, o desespero toma conta de nós, ante problemas graves que tenhamos a enfrentar.

Nesses momentos, nossa mente em desequilíbrio não ora verdadeiramente. Mais reclamamos, exigimos, desconcertados pela ansiedade que deseja ver resolvida a problemática que nos ocorre.

Quase sempre, nessas horas, nos faltam a confiança, o amor e a submissão à Vontade Superior.

Deveríamos nos habituar a orar, utilizando-nos desse mecanismo que é ponte entre nós e nosso Pai Celeste. E valorizarmos muito a oração espontânea, aquela que brota generosa do coração, que se inflama de devoção.

São esses versos da espontaneidade que se dirigem à Entidade Máxima do Universo e nos retornam carregados de entusiasmo, revigoramento.

Por isso, podemos dizer que a prece nos sustenta. Orar é nos banharmos de luz. É nos inundarmos das forças poderosas do mundo invisível.

E a questão não é orarmos muito mas orarmos bem.

Não será a multiplicidade das palavras que conferirão maior valor à nossa oração. O que importa é o sentimento de que ela se reveste.

A prece também propicia resultados imunológicos e terapêuticos. Isso porque harmoniza o nosso tom vibratório.

Ela atua, revitalizando o nosso metabolismo, rearmonizando o campo das células, numa ação benfazeja.

Podemos nos eximir de alguns males, gerando essa aura de vibrações especiais.

Naturalmente, não nos desvincularemos de todos os cuidados com o corpo, buscando a orientação médica, a medicação apropriada, o diagnóstico preciso.

Contudo, poderemos evitar muitos mal-estares, enfermidades corriqueiras, sustentados pela prece, quando a tornamos constante em nosso cotidiano.

  *   *   *

Está no pensamento o poder da prece. Por isso, não depende de palavras, nem do lugar, nem do momento em que seja feita.

Podemos orar em toda parte, a qualquer hora. A sós ou em conjunto.

A influência do lugar somente tem importância nas circunstâncias em que favoreçam o nosso recolhimento.

Habituemo-nos a orar. Recordemos que o Senhor Jesus nos disse: Seja o que for que peçais na prece, crede que obtereis e concedido vos será o que pedirdes.

Aprendamos a dinamizar a prece em nossas vidas.

Veremos que nos chegarão a coragem, a paciência, a resignação, o bom ânimo para tudo sofrer, tudo vencer, tudo superar.

 Redação do Momento Espírita, com base no cap. 2, pt. 2, do livro
 
Calvário de Libertação, pelo Espírito Victor Hugo, psicografia
 de Divaldo Pereira Franco, ed. LEAL, com transcrição
 do
Evangelho de Marcos, cap. XI, versículo 24.

Em 15.10.2020.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998