Momento Espírita
Curitiba, 06 de Agosto de 2020
busca   
no título  |  no texto   
ícone Honremos a natureza

  

Depois de muitos anos, notícias nos apontam o mundo que estamos restaurando para nós mesmos. Na capital catarinense, por exemplo, a população voltou a se extasiar com a beleza dos guarás.

Os guarás são pássaros de bico fino, longo e levemente curvado para baixo. Também conhecidos como íbis-escarlate.

Vivem em colônias. Têm de cinquenta a sessenta centímetros. A plumagem, de um colorido vermelho forte é devida à alimentação à base de um crustáceo, que possui grande quantidade de betacaroteno.

Os filhotes nascem de cor escura, peito branco, se tornando completamente vermelhos, após ano e meio de vida.

Os ninhos, habitualmente, são construídos no alto das árvores dos mangues. A fêmea coloca de dois a três ovos de cor bege.

Durante o século XVII, essas aves sobrevoavam os céus do litoral brasileiro desde o Amapá até Santa Catarina.

Dizem os pesquisadores que seu desaparecimento não tem uma causa definida.

Pode ter sido pela exploração das penas vermelhas ou pela coleta dos ovos.

Em Santa Catarina, eles haviam sido vistos, pela última vez, em 1859.

O seu retorno a Florianópolis é resultado de um grande trabalho de conservação dos mangues da capital, em que se envolveram o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade e a Prefeitura.

Podemos encontrá-los, às dezenas, também no parque das aves, em Foz do Iguaçu.

Encanto para os olhos. Alegria para a alma.

*   *   *

Registramos a presença da Inteligência Suprema do Universo e Causa primeira de todas as coisas, nos vários ângulos da natureza.

Como Pai amoroso e bom, Ele dotou o meio ambiente de extraordinárias riquezas e belezas.

No entanto, a natureza nos exige cuidados para a sua preservação.

É nosso dever auxiliar a manutenção das espécies da fauna e da flora, papel fundamental dos que afirmamos amar ao Criador.

Também dos que desejamos que o mundo de regeneração seja um lar acolhedor para a espécie humana.

A natureza é o santuário em que a Sabedoria de Deus se torna visível.

De alma agradecida e serena é preciso abençoar a natureza que nos abraça, protegendo, quanto possível, todos os seres e todas as coisas na região em que respiramos.

Antes de explorá-la é preciso amá-la e respeitá-la.

A vida vegetal é moldura protetora da vida humana.

A flora protegida falará de nossa posição evolutiva, tanto quanto o campo cuidado responderá com a sua produção generosa.

A fauna protegida embeleza nossos olhos e alegra nossos dias.

Compete-nos regrar a nossa vida, obedecendo às normas de preservação de tudo que nos cerca.

Tendo em conta que a Providência Divina tudo sabe e tudo prevê, cabe-nos reflexionar que a extinção de uma espécie vegetal ou animal, afeta o mundo sustentável, que todos desejamos.

Também importante termos em mente que, conforme escreveu o Apóstolo Paulo, todos somos cooperadores de Deus.

Por fim, que na qualidade de administradores dos bens que nos são oferecidos na Terra, de tudo teremos que dar contas, segundo as palavras de Jesus.

Redação do Momento Espírita com notícia
colhida na Internet; citação da
I Epístola aos Coríntios,
 cap. 3, vers. 9 e do cap. 32, do livro Conduta Espírita,
 pelo Espírito André Luiz, psicografia de Waldo Vieira,
 ed. FEB.
Em 4.7.2020.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2020 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998