Momento Espírita
Curitiba, 24 de Abril de 2019
busca   
no título  |  no texto   
ícone O homem e Deus

Há algum tempo, o jornal britânico The Guardian listou a Serra do Rio do Rastro como o quinto lugar, entre as dez estradas, ao redor do mundo, de tirar o fôlego.

Trata-se da rodovia SC-390, que faz a ligação entre as cidades catarinenses de Bom Jardim da Serra e Lauro Müller.

É uma rota com duzentas e oitenta e quatro curvas, que passa por um cenário maravilhoso do início ao fim.

É um dos cartões postais do Estado catarinense. O percurso é caracterizado por subidas íngremes e curvas fechadas, com cachoeiras cantantes.

Coberta pela Mata Atlântica, apresenta uma fauna bem diversificada, com vários tipos de felinos de pequeno, médio e grande portes, onde se multiplicam macacos, quatis, pacas, tatus, tamanduás e iraras.

Também uma avifauna composta de águias chilenas, tiês-sangue, tucanos, araras e papagaios.

Essa serra foi classificada como um lugar de particular interesse para o estudo da geologia, notável sob o ponto de vista científico, didático e turístico,  pela Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos.

Anteriormente ao destaque pelo jornal britânico, uma revista espanhola lhe dera o título de Carretera Asombrosa, ou seja, uma estrada espetacular.

Com certeza, uma beleza ímpar. A vista aérea surpreende pelo traçado de tantas curvas e não podemos deixar de exaltar a Divindade por criar tamanha beleza.

Ao mesmo tempo, a alma nos sugere mais uma vez a verdade da frase bíblica de que Deus nos criou à Sua imagem e semelhança.

Sim, se nos extasiamos pelas belezas espalhadas em tantos locais, produção esmerada de um Deus que não se repete e somente nos surpreende pela grandiosidade, igualmente reverenciamos a engenhosidade humana.

Construir uma estrada em lugar tão íngreme, parecendo inacessível, somente atesta da sua inteligência e da sua vontade férrea de superar obstáculos.

Para isso, vence as montanhas, e delineia um traçado inimaginável para alcançar o lugar que planeja.

Inteligência humana – semelhante à Divina, jamais se cansa de planejar, criar, desejar um tanto mais.

Engenhosidade humana – semelhante à do seu C|riador, não estabelece limites para o que deseja.

Assim, enquanto a vista se nos descortina cheia de paisagens esplêndidas, e nos convoca a louvar ao Pai que tudo estabeleceu nesta terra de bênçãos, louvamos-lhe, Igualmente, a grandeza ao conceder aos Seus filhos traços de Si mesmo.

Criando-nos simples e ignorantes, concedeu-nos uma parcela de Sua eternidade, fazendo-nos imortais.

E dispôs que, pelo esforço, poderíamos alcançar alturas inimagináveis, na Terra, e na intimidade de nós mesmos, Espíritos.

Por isso, enquanto nos extasiamos com as paisagens, nossa alma se eleva e agradece ao Senhor, pela vida, pelas potências íntimas de que dotou nossa alma, pela nossa imortalidade.

Por sermos filhos do Seu amor, da Sua sabedoria. E nos diz que tudo que pensarmos, poderemos concretizar.

Então, cogitamos que o dia em que verdadeiramente desejarmos estabelecer a paz no planeta, nós o conseguiremos.

Afinal, somos filhos da paz, herdeiros do Universo que nos fala de infinitude, de harmonia.

Pensemos nisso e nos disponhamos a gerar a paz, partindo de nós mesmos, hoje, agora.

Redação do Momento Espírita.
Em 9.3.2019.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2019 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998