Momento Espírita
Curitiba, 19 de Setembro de 2017
busca   
no título  |  no texto   
ícone O Hóspede

Quando sabemos que receberemos um hóspede, em casa, alguém de quem gostamos muito, tomamos muitas providências.

Organizamos tudo da melhor maneira possível. Afinal, desejamos oferecer tudo de bom, de mais especial.

Por isso, limpamos e perfumamos nosso lar. E o enfeitamos com flores delicadas e coloridas.

Providenciamos a quem chegará o melhor cômodo da casa. Aquele onde o sol, pela manhã o virá saudar. E se fizer frio, virá aquecê-lo, logo ao despertar.

Quando o hóspede chega, fazemos silêncio para não perturbar o seu repouso. Providenciamos para que as crianças não o incomodem.

Pensamos em todos os detalhes, nos desdobramos nas atenções quanto aos alimentos. Preparamos o que ele mais aprecia.

Desejamos que se sinta bem em nossa casa. Para ele, o melhor. É nosso hóspede.

Tudo se torna um envolvimento de carinho para que esteja à vontade em nossa casa.

*   *   *

Poucos de nós nos damos conta de que existe um hóspede ansioso para penetrar a nossa casa interna.

Alguém que tem caminhado de um para outro lado, nas calçadas e ruas da nossa vida emocional, todos os dias.

Ele busca se insinuar para que tomemos a iniciativa de convidá-lO a entrar.

Ele conhece nosso íntimo. Sabe dos nossos sentimentos feridos, da alegria que buscamos com ansiedade, da saúde que aguardamos se restabeleça. Das esperanças tão embaladas...

Ele nos segue pelos corredores da solidão ou nos salões da alegria.

Ele se chama Jesus.

Quem sabe, ainda hoje, possamos convidá-lO para adentrar o nosso coração.

E, como o desejamos bem recepcionar, comecemos por realizar a higiene das peças interiores de nossa alma. Espanemos para longe os pensamentos tristes.

Coloquemos perfumes em nossa casa íntima.

Envolvamos em silêncio cada compartimento interno para que Ele se faça o mais suave hóspede da nossa vida, dela jamais se apartando.

Não esperemos mais. Vamos convidá-lO a se hospedar em nós, para sempre!

Todos os que permitiram que Ele adentrasse a porta dos seus corações, nunca mais foram os mesmos.

Ele penetrou o coração de Francesco Bernardone e o jovem se transformou em Francisco dos pobres, Francisco de Assis.

Ele visitou uma jovem freira na Índia e ela, deixando-se sensibilizar por Sua mensagem, se transformou na irmã dos pobres mais pobres: Madre Teresa de Calcutá, para quem cada mendigo, doente ou necessitado era o próprio Cristo vivo e amado.

Se O convidarmos a estar conosco e nos dispusermos a viver a Sua mensagem, Ele, estrela fulgurante, fará sol em nossas vidas, acima e além de todos os problemas que possam colocar nuvens em nossos dias.

*   *   *

Jesus, Mestre, Amigo e Irmão Maior. Ele prossegue de braços abertos, aguardando que nos permitamos o aconchego. E que atendamos ao Seu convite: Vinde a mim, todos vós que estais aflitos e sobrecarregados e eu vos aliviarei.

Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração. E achareis descanso para as vossas almas. Porque meu jugo é suave e leve o meu fardo.

Atendamos ao convite e abriguemos o Hóspede Celeste na intimidade de nossa alma.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. 16,
do livro
Rosângela, pelo Espírito Rosângela, psicografia
de Raul Teixeira, ed. Fráter e transcrição do Evangelho
de Mateus, cap. 11, vers. 28 e 29.
Em 14.6.2017.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2017 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998