Momento Espírita
Curitiba, 21 de Abril de 2021
busca   
no título  |  no texto   
ícone O uso da paciência

Jesus, nosso Mestre e Guia, com toda Sua bondade e amor nos ensinou que não devemos nos inquietar com o amanhã, pois Deus, Nosso Pai, conhece todas as nossas necessidades e cuida de todos nós.

Ninguém está sozinho e desprotegido.

Todos nos encontramos sob o amparo e a proteção do Pai Celestial.

Por que, então, ficamos inquietos com as ocorrências da vida?

Se confiamos em Deus e em nosso Irmão Maior Jesus, por que nos afligimos tanto?

Importante seria fortalecermos a nossa confiança para vivermos de forma mais tranquila.

Uma virtude que nos pode auxiliar nesse objetivo chama-se paciência.

Ela nos poderá auxiliar a ter mais serenidade com os acontecimentos do presente e mais confiança no que poderá ocorrer no futuro.

A paciência é a medida metódica e eficaz que ensina a produzir no momento exato a tarefa correta.

Sirvamo-nos desse recurso.

Devemos agir sempre, cumprindo com nossas obrigações e buscando alcançar nossos objetivos.

No entanto, nosso agir deve ser sem precipitação, sem a exagerada euforia do primeiro momento, que não se mantém com o tempo.

Diante das dificuldades que a vida nos apresenta, a impaciência não nos ajudará a superá-las.

Ao contrário, poderá perturbar ou destruir as nossas resistências.

Precipitação traduz desarmonia, perturbação, com agravante desconsideração ao tempo.

Por isso, se faz importante que façamos exames detalhados da situação, a partir de uma reflexão ponderada, antes da tomada de qualquer decisão e atitude.

Para essa reflexão, a paciência pode ser uma importante companheira.

A paciência significa autoconfiança.

O que hoje não consigamos, perseverando com dignidade e paciência, haveremos de alcançar amanhã.

Lembremos que a vida é semelhante a uma escola.

Cada um dos integrantes do grupo escolar deve cumprir o seu papel para que a escola funcione de forma eficaz e atinja seus propósitos, que é a educação.

Cada aluno deve adquirir, ao longo de sua permanência na escola, os conhecimentos e habilidades necessárias para uma vida digna.

Para tanto, devem se dedicar na análise dos problemas, dos textos, das questões apresentadas.

Com reflexão e uso dos conhecimentos adquiridos, buscar o entendimento e a solução para as situações propostas.

Também precisam realizar provas, que são os momentos de avaliação do conhecimento obtido ao longo de um período.

Muitos estudantes não alcançam êxito nas provas, não pelo desconhecimento do conteúdo, mas pela ansiedade na sua realização.

A paciência, também, nesses casos, se faz imprescindível.

É, igualmente, na escola que os alunos desenvolvem a sociabilidade, aprendendo no convívio com os outros colegas, professores e funcionários, o respeito e a solidariedade.

Reflitamos sobre essa virtude e passemos a colocá-la em prática em nossas vidas.

Acalmemo-nos, pensemos um tanto mais, a fim de alcançar a melhoria das condições de nossas vidas e do serviço no bem.

Sirvamo-nos da paciência para agirmos, produzirmos o que seja positivo, e irmos, a pouco e pouco, descobrindo a felicidade que está ao nosso alcance.

Redação do Momento Espírita, com frases do cap. 34, do
livro
Convites da Vida, pelo Espírito Joanna de Ângelis,
psicografia de Divaldo Pereira Franco,
ed. LEAL.
Em 6.4.2021.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2021 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998