Momento Espírita
Curitiba, 21 de Abril de 2021
busca   
no título  |  no texto   
ícone Desejo dos pais

O nascimento de um filho é dos momentos mais felizes para os pais que o aguardaram por meses.

Meses de expectativa, de pequenos sustos a cada incidente que envolve a gestante: Será que vai nascer agora? Mas ainda falta um tempo.

Os exames, ao longo dos meses, vão sinalizando o estado de saúde, o desenvolvimento do embrião, do feto.

Ouvir o coração pela primeira vez é emocionante. Pai e mãe não se cansam de tornar a ouvir a gravação feita durante a ecografia.

Ver as mãozinhas, os pés, aquele ser crescer, preparando-se para o grande ato de entrada no palco da vida é acompanhado com emoção sempre renovada.

Finalmente, eis o bebê nos braços maternos. Ei-lo pequeno, vulnerável, nos braços paternos.

E, quando o casal olha para o filho que em tudo depende de seus cuidados e afeição, quantos pensamentos passam pela mente.

O que ele dirá primeiro ao falar: Papai? Mamãe? Quando dará os primeiros passos?

Será um bom aluno? Haverá de se tornar alguém importante?

Será que abraçará a carreira médica e salvará vidas? Será um clínico geral ou cuidará do coração? Quem sabe será um neurocirurgião.

Será um cientista, desenvolvendo novas fórmulas para atender a enfermidade, atacar epidemias?

Terá nascido para trazer alguma nova invenção para este mundo?

Ah, ele tem dedos longos, finos... Próprios para um pianista, dominando as oitavas, enchendo o mundo de harmonias.

Será um concertista, alguém que assombrará as plateias com a música dos grandes mestres? Será que lhe observando o domínio dos instrumentos que executará, pensarão se tratar de um virtuose do passado que retornou para a Terra?

Terá renascido para revolucionar a educação, dedicando-se a ilustrar mentes?

Trará o dom das línguas? Falará muitos idiomas?

Será alguém que traz o sonho de conquista das estrelas e se tornará um astronauta, um viajor do espaço?

Mas, e se ele não nasceu para nada espetacular? Quem sabe será o pai de família dedicado, cuidando dos seus filhos, educando-os para o bem?

Ou quem sabe, de uma forma heroica, ele desejará simplesmente servir aos seus irmãos e se embrenhará por matas e sertões instruindo pessoas, espancando a ignorância e fazendo luz em alheias mentes?

Quem sabe ele nem gostará de estudar em demasia e abraçará uma profissão, desde muito cedo, aprimorando-se nela...

Será um motorista ou um ás do volante, um agricultor?

Indagações...

*   *   *

Com certeza, o que os pais mais desejam é que seu filho viva, cresça, conheça a riqueza dos dias, das semanas, dos anos...

E idealizam que ele seja correto, leal, honesto. Que seja generoso na partilha do que conquista.

Que seja solidário com seu irmão, o próximo mais próximo. Que seja um homem de boa vontade. Vontade de aprender, de ensinar, de compartilhar tudo que tenha: sua inteligência, suas habilidades, seus conhecimentos, suas posses.

Um homem, um cristão, um verdadeiro filho de Deus que renasceu para tornar mais rico este mundo.

Este o desejo de cada pai, cada mãe, ao recepcionar seu filho neste mundo de provas e expiações. De progresso e de bênçãos.

Redação do Momento Espírita.
Em 31.3.2021.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2021 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998