Momento Espírita
Curitiba, 05 de Março de 2021
busca   
no título  |  no texto   
ícone Tudo é amor

Na vida tudo respira amor.

Não poderia ser diferente, visto que o Pai Criador é a representação máxima desse sentimento.

Deus, Criador do Universo e de tudo o que o constitui, fez do amor a essência da Criação.

É pela estrada do amor, nas suas variantes, que todos caminhamos em busca da felicidade, para a qual estamos destinados.

Dessa forma, sempre que damos um passo, que praticamos uma ação, seja em que direção for, estamos no encalço do amor.

No entanto, ignorando suas variações podemos nos desviar do caminho desejado.

Mas a ele retornaremos, mesmo que pressionados, porque o sentimento de amor é uma constante em nossas vidas.

Quando estudamos, usamos o amor que analisa.

Quando buscamos um ideal, vemos o amor se elevar.

Ao colocarmos nossa fé em ação, movimentamos o amor que transcende.

Quando sentimos esperança, fazemos o amor sonhar.

Praticando a caridade, temos o amor que auxilia.

Sendo simpáticos, vemos o amor sorrir.

Trabalho é o amor construindo. Sacrifício é o amor se esforçando.

Mesmo quando em desespero, retratamos o amor que se desgovernou.

A paixão representa o amor desequilibrado.

O amor que se animaliza é chamado de egoísmo. E, quando enlouquece, é chamado de orgulho.

A sensualidade em excesso é o retrato do amor que se envenena.

E a vaidade representa o amor que se embriaga...

*   *   *

Nossa vida na Terra tem por objetivo desenvolver o intelecto e os sentimentos.

Cultivamos o intelecto com os aprendizados que vamos adquirindo, e que um dia nos farão sábios.

Quanto aos sentimentos, a sensibilidade que vamos desenvolvendo proporcionará uma grande mudança dos hábitos, nos aproximando sempre mais do ponto almejado.

Na medida em que os sentimentos se depuram vão substituindo nossos instintos primitivos.

Enquanto menos burilados, apresentamos a crosta dos instintos primários de nossa natureza.

Por vezes, poderemos nos apresentar rudes e de difícil trato.

Lenta e constantemente, desenvolvemos em nós os sentimentos, burilando-os, santificando-os.

Vencendo etapas, chegaremos ao ideal almejado, que é a vivência do amor!

Para que essa caminhada seja produtiva, nossos pensamentos são os primeiros que devem ser direcionados de forma positiva, diante do que almejamos.

Mas, para que consigamos discipliná-los é necessário querer!

Depois, gradativamente nossas palavras vão se amoldando aos pensamentos e os retratam, expressando-se de forma gentil e delicada.

No entanto, somente alcançaremos o objetivo quando as nossas atitudes expressarem a perfeita consonância com nossos sonhos.

Nossos movimentos constantes na direção do progresso nos fazem registrar as faces que o amor vai adquirindo.

Perceberemos que o estudo, a fé e a esperança retratam um forte sentimento de amor.

O trabalho e o sacrifício que aplicamos na busca do que almejamos é o mesmo amor, agora com outro colorido.

O progresso constante que realizamos nos compensará com a felicidade de termos buscado o aprendizado correto.

Nossos pensamentos, palavras e ações estarão acima das amarras materiais.

Feliz aquele que ama!

Redação do Momento Espírita, com base na mensagem
Tudo é amor, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de
Francisco Cândido Xavier.
Em 19.8.2017.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2021 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998