Momento Espírita
Curitiba, 22 de Junho de 2017
busca   
no título  |  no texto   
ícone Deixai vir a mim...

Ela era apenas uma garota, e sua vida nunca fora um mar de rosas.

No entanto, a força interior, que trazia em si, permitiu suplantar os sofrimentos e amar a vida.

Tendo passado por desafios familiares na infância, Marilda não demonstrava as dores vivenciadas. E tinha vontade de fazer algo diferente.

Quando via uma criança triste, se aproximava e tentava estabelecer um diálogo.

Conversando com carinho, destacava as raras coisas boas daquela vida sofrida, e as valorizava.

A comunidade onde vivia ficava distante do centro da cidade e as dificuldades só aumentavam, com a quantidade de pessoas que continuavam chegando.

Ela aprendera a ler. Ganhara um livro contendo as lições do Evangelho e feliz, resolveu fazer algo pelas crianças.

Todas as tardes, as reunia no gramado do terreno ao lado de sua casa, e lia as histórias da vida de Jesus para elas.

A passagem preferida de todas era a que falava do Mestre chamando as crianças para junto de si.

Marilda ensinou-as a orar a Deus e ao seu anjo de guarda, o que elas faziam com uma emoção incrível.

Ela tinha consciência de que aquilo era muito pouco, mas o fazia com dedicação.

O sorriso das crianças era alimento para o seu coração.

*   *   *

Jesus citou as crianças como modelo da inocência que todos devemos buscar cultivar.

A criança não costuma enxergar as ironias, as maldades, os sentimentos menores, que fazem de certos homens muros de pretensão e de maldade.

Ao iniciar nova jornada, na Terra, o Espírito não possui no cérebro atual, os registros do que foi, viu e sentiu outrora.

Por isso os primeiros anos de vida devem ser muito bem conduzidos, com amor e responsabilidade, por seus pais ou por quem as atende.

Ser criança na Terra é recomeçar o aprendizado permanente, até atingir a perfeição.

Aprender, com base no Evangelho de Jesus, representa para todos os que nos aventuramos, nesta viagem, o recomeço seguro e promissor.

A criança é semelhante a um material moldável, onde podemos imprimir o que quisermos.

Não tendo ainda sua personalidade atual formada, tudo o que ensinarmos a ela hoje, será impresso fortemente em seu ser, refletindo no seu comportamento, no amanhã.

Se as lições e exemplos que vivenciar forem negativos, ela os registrará naturalmente, fazendo disso sua bagagem de aprendizado e vida.

Porém, se nos dispusermos a presentear esse Espírito com os melhores conteúdos e exemplos, com certeza, haveremos de colher frutos doces e nutritivos.

A criança sempre representará, no mundo, as expectativas da Humanidade para o futuro.

Resta nos questionarmos qual o futuro que queremos construir, a partir de agora.

Quando todos compreendermos essa realidade, os lares oferecerão para a sociedade o modelo sonhado, de homens e mulheres que haverão de construir nossa futura realidade.

Estamos aqui para dominarmos nossas más inclinações, e nos aprimorarmos na compreensão da vida.

Semeemos muito amor ao nosso redor, sempre.

Chegará o momento em que o perfume dele nos envolverá.

Redação do Momento Espírita.
Em 17.6.2017.

 

Escute o áudio deste texto

© Copyright - Momento Espírita - 2017 - Todos os direitos reservados - No ar desde 28/03/1998